Alinhadores Invisíveis – A Minha Experiência

Como já tinha anunciado na página, (in)felizmente tive de colocar aparelho nos dentes. De todas as opções disponíveis no mercado atualmente, acabei por optar pelos alinhadores invisíveis, comumente chamados de Invisalign. Neste preciso momento em que escrevo, já o tenho na boca há cerca de 2 meses, por isso resolvi deixar o meu feedback inicial.

Antes de mais, deixem-me contar o meu historial de dentes (super interessante, eu sei…). Desde que me cresceram os dentes definitivos que eu os tive tortos. Honestamente e com toda a sinceridade possível, esse facto nunca me incomodou, tanto que foi algo que eu nunca ponderei nem quis ponderar porque era caro e colocar metal na boca era impensável (porque é “feio”, porque iam gozar comigo, etc. as inseguranças parvas do costume quando se é criança/adolescente). Quando entrei na idade adulta, os dentes do juízo, que não têm juízo nenhum, resolveram aparecer, mas apareceram da pior maneira: cresceram dentro da gengiva e estavam a empurrar os outros. Esta bela brincadeira resultou em 4 pequenas cirurgias e molares todos tortos. Fantástico! E ainda não acaba aqui! Agora que já se passaram alguns aninhos e o corpo já está adaptado ao facto desses 4 dentes já lá não estarem, tenho dores na boca porque os outros dentes não estão no devido lugar (visto que foram empurrados pelos outros…). Ainda mais fantástico! Eu soube que tinha dores por isto porque resolvi ir a um dentista e como não tinha caris, dentes podres, obsessos, nada, estamos a supôr que seja este o motivo. Sim, “supôr”, não há garantias que o aparelho resolva as dores, pode ser algo com que eu tenha de viver sempre. Brutal!

Enfim, para ver se resolvia a questão das dores, optei então por colocar aparelho, se não resolver, pelo menos fico com os dentes direitos…

Vou ser honesta, eu excluí logo o aparelho metálico, é que nem foi uma opção a ser considerada. Não quero ofender ninguém mas eu não quis porque acho que já não tenho idade e o trabalho onde eu estive até ao início do mês passado tinha demasiado contacto com o público e eu não me iria sentir confortável com aquilo na boca.

Outra opção foi o aparelho de cerâmica que é basicamente a mesma coisa que o metálico mas é da cor dos dentes. Ok, não era má ideia, era uma péssima ideia! O aparelho como é clarinho, com o facto do ser humano precisar de alimentos, fica amarelo e parte-se com uma maior facilidade porque o material é mais fraco que o de metal. Pois, não obrigada.

Terceira opção, alinhadores invisíveis ou Invisalign só para ser mais fácil de chamar. Obviamente, têm a vantagem de ser “invisíveis” e fazerem o mesmo trabalho que os outros. Em quase todo o lado eles são publicitados como sendo práticos, discretos/invisíveis, cómodos, indolores, sem “xopinha de maxa”, a melhor invenção do mundo basicamente. A verdade, é que não é bem assim.

(tenham em conta que eu estou com eles apenas há 2 meses e o que funciona comigo pode não funcionar com vocês e vice-versa, etc. etc. etc.)

o Invisalign não é invisível! É transparente sim mas não é invisível, principalmente porque em 99,9% dos casos são colocadas umas pequenas bolinhas de massa nos dentes, que servem para ajudar a empurra-los para o sítio certo e isso vê-se mas vê-se! Pronto, está bem, em fotos não se vê e os dentes ficam brilhantes, mas a vida não é uma fotografia.

– vão falar à “xopinha de maxa” sim. É um objeto estranho na boca, ocupa um bocado de espaço à lingua, ela vai ter de se adaptar a ele. No meu caso, não acontece muita vez mas acontece e piora sempre que mudo de alinhador.

– de 10 em 10 dias o alinhador é para mudar para um novo e dói tanto! Com o movimento dos dentes, facilmente o alinhador fica mais largo e é necessário mudar para um novo, mais apertado, 0,0000001 milimetros mais direito, para continuar a correção dos dentes. Eu não sei porquê que mentem e dizem que não dói, porque é algo completamente descabido! Se os dentes estão a ser obrigados a mover-se, obviamente que dói um bocadinho ao início, o problema com o Invisalign é que tem vários inícios, no meu caso são 68 alinhadores, por isso 68 inícios.

– o quê? gostas de petiscar durante o dia? comer uma bolachinha agora, 5 minutos depois comer uma fatia de bolo, e 10 minutos depois beber um chá de limão? não filho, não não, ou comes tudo de uma vez ou não comes de todo porque não podes comer com o Insivalign nos dentes. Sempre que é preciso comer, é necessário retirar o aparelho e depois lavar dentes muito bem para voltar a colocá-lo na boca. SEMPRE! Mesmo que queiram comer só uma bolacha. Pelos vistos o aparelho vem com uma dieta incluída porque com o trabalho que dá, eu limitei as minhas refeições a café de manhã, almoço e jantar, não há cá snacks a meio da tarde.

é preciso limpá-lo como se fosse uma placa. Quando o aparelho começa a ganhar cheiro, é necessário limpá-lo com uma daquelas pastilhas que se metem na água para limpar as placas dentárias. Honestamente, eu não faço isso ao meu porque acho que é um exagero e um desperdício de dinheiro, mas todos os dias lavo-o com pasta de dentes.

– por algum motivo, também parte. Aconteceu-me já não sei quando, estava a limpar o alinhador número 4 como faço todos os dias e em vez de ficar com um alinhador superior, fiquei com dois alinhadores… a sorte é que o número 5 já me cabia na boca senão nem sei.

– acham que se viam livres dos elásticos? Pois, o Invisalign também leva com elásticos para corrigir a mordida e são encaixados nos caninos! E, para mal dos meus pecados, os elásticos não são transparentes.

Assim de repente, são as coisas que me lembro que tenho quase a certeza que poucos sabiam, mas também qualquer coisa e venho acrescentar.

De um modo geral, a minha experiência com o aparelho não é má. É chato ter de o tirar da boca sempre que quero comer ou beber algo que não seja água. E o facto de não mascar pastilha elástica dá-me cabo dos nervos mas fora isso, não é totalmente mau. Tenho a vantagem de comer e beber tudo o que quiser sem ter medo de manchar ou partir o aparelho. E algo muito bom é o facto de, apesar de se ver, não é muito percetível, tanto que a maior parte das pessoas não sabe que tenho aparelho na boca. 🙂 O pior disto tudo para mim é ter de lavar os dentes fora de casa, ou melhor, quando vou comer fora e tenho de ir a uma casa de banho pública. É horrível! As torneiras são quase sempre automáticas o que se torna muito mau para bochechar a boca rapidamente. Nunca há papel nas casas de banho o que me impossibilita de limpar a escova a dentes (agora ando sempre com uma toalhinha pequena na papel. É muito chato.

Outra coisa que muita gente tem curiosidade é o preço. Obviamente, varia de sítio para sítio, mas no meu caso ficou num total de 3240€ na Wells. (inclui: limpeza à boca + destartarização, aparelho, consultas e aparelho de contenção). Acrescento ainda que consegui este valor porque a clínica Wells onde fui tinha acabado de abrir e estavam a oferecer um desconto de 10% em todos os serviços/tratamentos. A clínica facilita o pagamento, sendo possível fazê-lo a prestações.

Se tiverem alguma questão a colocar não hesitem em fazê-lo!

“- Stay Sweet!”

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s