Book Review: Para Sempre não é muito tempo

13441533_1019898934760897_409380748_oA mais recente parceria da Tiny, no que toca a editoras, é a Capital Books. A mesma disponibilizou-me, em PDF, a obra “Para Sempre não é muito tempo” da autora Carolina Pascoal.

SINOPSE:
Gonçalo é um advogado de 46 anos que entra numa depressão sombria quando Leonor, o amor da sua vida, decide sair de casa sem hipótese de reconciliação e lhe pede o divórcio. Desesperado e cansado de travar uma luta contra a solidão, Gonçalo decide pôr termo à vida e numa madrugada conduz até à ponte de Santa Clara, em Coimbra, para se atirar às águas do rio Mondego. Mas é nesse momento que ouve a voz de Francisca, que lhe traz o poder das segundas oportunidades.
A consciência de que vamos sempre a tempo de ser felizes outra vez. Mas se o destino quis que a Francisca aparecesse naquele momento, continuará a querer que fique durante muito tempo?
Uma história de amor única, por não haver dois dias iguais, duas pessoas iguais, dois amores iguais. Traz-nos as dúvidas, os recuos, os desvios e as paragens dos corações apaixonados, enquanto nos mostra que para sempre não é muito tempo, quando para sempre é a única opção possível.

Peço desculpa pelos spoilers…
Vocês já sabem que eu gosto sempre de falar sobre as capas antes de falar da história do livro. No que toca a esta, apesar de a achar lindíssima, lembra-me os livros de Lesley Pearse, não a consigo relacionar de todo com a história, principalmente porque a personagem principal é um homem e gira tudo à volta dele praticamente. Sim, eu sei que nem sempre as capas se relacionam com o conteúdo mas acho estranho na mesma. E o mesmo aplica-se ao título.

Tal como já mencionei e viram pela sinopse, ao contrário do que costuma ser nos livros que leio, a personagem principal deste é um homem. Gonçalo, um jovem advogado, está a passar por uma separação/divórcio e sofre de depressão por isso. Eu consigo perceber, mais ou menos, o dilema em que Gonçalo está, quer dizer, foi a primeira namorada, estavam juntos desde a faculdade, ele tornou-se vegetariano por causa dela, abdicou de ter filhos por causa dela, afastou-se do melhor amigo por causa dela e do nada, esta mulher resolve que quer separar-se. No fundo, Gonçalo perde o amor da sua vida e acaba num estado lastimável.

Completamente desorientado, resolve pôr fim à sua vida mas é impedido por Francisca, uma estranha que por acaso estava no local escolhido para o efeito.

Obviamente, visto que o livro é um romance, com o passar do tempo estes dois começam a conhecer-se melhor e acabam por ter um relacionamento. Durante este curto relacionamento, houve um momento em particular que eu não gostei. Neste momento não me lembro de onde é que eles eram mas há um momento na história em que eles vão passar uns dias a Lisboa. Ora, é feita uma descrição dos locais, mas por algum motivo acho a Francisca um bocado retardada nesta cena. Pronto, ela nunca tinha ido a Lisboa, mas dá a impressão que viveu fechada numa caverna a vida toda e que só agora estava a ver a luz do dia. Não sei, se calhar sinto isto por a história se passar em Portugal e nesta cena em específico em Lisboa, que é um sítio que conheço.

No parágrafo anterior eu escrevi “curto relacionamento”, o que foi de propósito pois Francisca descobre que afinal Gonçalo não assinou os papéis do divórcio e que continua casado com Leonor. Considero esta cena bastante delicada e importante até, pois mostra a fraqueza de Gonçalo e o sufoco em que ele vive. Desta maneira a relação dos dois acaba e Gonçalo volta para Leonor (foi um ciclo quase, eles voltaram, separam-se e a Francisca volta à história e depois ele acaba por ficar com a Leonor). Eu odiei isto! A Leonor é uma má mulher, andou metida com um amigo de Gonçalo, não quis saber dos sacrifícios que ele fez por ela, não quis saber dele quando ele esteve mal, no entanto, como acaba por engravidar (“acidentalmente”), fica com ele.

Eu não gostei deste final, nada mesmo, acho muito mau o que aconteceu a Francisca, ela foi a outra, perdeu tempo e o homem que amava, não merecia. Não consigo ignorar o facto de ter salvo a vida de Gonçalo.

De qualquer maneira, mesmo com este final horrível para mim, posso dizer que gostei da obra. Eu consigo separar o facto de não ter gostado do facto de ser algo com qualidade. Tem imensas revira-voltas e coisas que não se estava à espera que acontecessem. Fala sobre temas bastante atuais e que todos os dias acontecem como os divórcios, suicídios e traições. A escrita da autora é fantástica! Foi o que mais gostei sem dúvida. O livro tem algumas asneiras e cenas de sexo, mas nada do outro mundo e que vá chocar alguém.

É um bom livro e sem dúvida que o recomendo, principalmente se se quiser um romance diferente do que se está habituado a ler (partindo do principio em que normalmente a história gira em volta de uma mulher e não tem estas revira-voltas todas).

O que acharam?

No Goodreads dei-lhe 4 estrelas.

Obrigada Capital Books ❤

“- Stay Sweet!”

Advertisements

6 thoughts on “Book Review: Para Sempre não é muito tempo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s